Dança, Intermidialidade e Tecnologia

Fechas
Lunes 13 de enero ’14 - 8:00 hs.

Minas Gerais, Brasil. Inscrições desde 13 de janeiro de 2014
Curso de pós-graduação “Dança, Intermidialidade e Tecnologia”
Março de 2014
Instituto de Artes e Design
Universidade Federal de Juiz de Fora
Rua José Lourenço Kelmer, s/n
Campus Universitário – São Pedro 36036-330
Juiz de Fora – MG
http://www.ufjf.br
En Facebook

 

 

Curso_-pos-graduacao_Dança_Intermidialidade_-Tecnologia_diceimbre_2013

 

Dança, Intermidialidade e Tecnologia

João Queiroz & Daniella Aguiar

 

Na verdade, pode-se quase afirmar que as mais significativas experiências feitas por pintores, escultores, compositores e romancistas derivam não apenas da exploração total das qualidades inerentes ao seu instrumento de trabalho, mas sobretudo, precisamente de suas tentativas em transcendê-lo.

A.A. Mendilow

 

O curso “Dança, Intermidialidade e Tecnologia” terá início em março de 2014, no Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais.

O curso concentra-se em processos de intermidialidade que envolvem dança e outros sistemas de linguagem — música, artes visuais, arquitetura, figurino, literatura, escultura, cinema, vídeo. Além disso, o curso examina o uso e a incorporação de novas tecnologias e artefatos digitais.

O fenômeno da intermidialidade “implica todos os tipos de inter-relação e interação entre mídias” (Clüver 2011: 9). Segundo López-Varela & Tötösy (2008: 67), “a noção de intermidialidade impacta todas as disciplinas das ciências sociais e humanidades”; trata-se de um fenômeno capaz “de criar novas formas de inovação artística e crítica; de encontrar formas para sua distribuição (…); de ligar comunidades culturais no ciberespaço; e de ser aplicada como um veículo para práticas educacionais inovadoras” (Lópes-Varela & Tötösy, 2008: 68). Segundo Lehtonen (2001: 71), “cultura e mídia contemporâneas são parte integrante da cultura e mídia multimodais e intermidiáticas”. As relações intermidiáticas podem incluir tanto a fusão de mídias, como transposições intermidiáticas (Clüver 2006: 24). Para Rajewsky (2010), o fenômeno inclui a transposição e combinação de mídias, além de referências intermidiáticas.

É consensual que o que chamamos de dança pode, em geral, ser descrito como fenômeno multimídia, envolvendo diversos sistemas e processos de linguagem. Mas tais relações podem se tornar a matéria fundamental, o objeto primário de investigação e exploração criativas. Embora não se trate de uma novidade – o Balé romântico se nutre da literatura em muitos aspectos, assim como os Balés Russos de Diaguilev; a dança moderna e pós-moderna norte-americana, de Martha Graham a Yvonne Rainer, cuja colaboração com artistas visuais, ou incorporação direta de paradigmas visuais, caracteriza parte importante de suas descobertas, como também é o caso de Cunningham, Simone Forti, William Forsythe, e muitos outros (está fora de questão produzir uma lista exaustiva de “artistas inventores” neste pequeno artigo que concentraram seus focos em experiências intermidiáticas) – apenas mais recentemente centros e grupos de pesquisa acadêmicos tratam o tema como caso ou tópico especial de investigação. Para mencionar alguns centros: International Society for Intermedial Studies, Linnaeus University (Suécia); Department of Intermedia Studies, Universitas Ostravienses (Republica Tcheca); The Centre for Intermediality in Performance, University of London (Inglaterra); Centre for Intermediality Studies in Graz, University of Graz (Austria); Centre for Literature, Intermediality, and Culture, Vrije Universiteit Brussel (Bélgica); Center for Research on Intermediality, University of Montreal (Canadá); Grupo de pesquisa Intermediality, University of Freiburg (Alemanha). Entre cursos de graduação e pós- graduação pode-se mencionar: Dance and Visual Design / Dance and Mixed Media Textiles / Dance and Music / Dance and Ceramics / Dance and English Literature, em Bath Spa University (Inglaterra); Graduação em Intermedia Studies/Intermediality Studies, em Lunds Universitet (Suécia); Mestrado em Intermedia, University of Maine (Estados Unidos); Mestrado em Comparative Arts and Media Studies, University Amsterdam (Holanda); Mestrado em Performance and Visual Practices, University of Brighton (Inglaterra).

Como afirmamos, o curso de especialização “Dança, Intermidialidade e Tecnologia” concentra-se nas relações da Dança com outros sistemas de linguagem. O curso foi concebido para explorar abordagens prático-teóricas em que os alunos testam suas experiências criativas na interface com outras linguagens e com novas tecnologias. Baseado na ideia de “desenvolvimento de projetos”, o curso estimula a construção e investigação de “objetos” e processos criativos para submissão e exibição em festivais, editais, mostras, congressos e simpósios, journals e revistas, etc. Entre as principais disciplinas do curso, encontram-se: Dança e outras artes; Dança, cognição e linguagem; Dança e espaço; Videoarte e videodança; Audiovisual: o corpo e a câmera; Portfólio audiovisual e vídeo-dança; Performance e poéticas do corpo; Dança e escuta musical; Arte e cultura digital; Corpo e tecnologia.

O curso acontecerá aos sábados, no Instituto de Artes e Design (UFJF), e contará com a presença de professores e artistas de diversas áreas. As inscrições, realizadas por email, têm início no dia 13 de janeiro de 2014. 

 

Referências:

Clüver, C. 2011. Intermidialidade. Pós: Belo Horizonte 1 (2), 8–23.
__. 2006. Inter textus / inter artes / inter media. Aletria 14 (1), 11 – 41.
Lehtonen, M. (2001). On No Man’s Land. Theses on Intermediality. Nordicom Review 22 (1).
López-Varela Azcárate, A., & Tötösy De Zepetnek, S. 2008. Towards Intermediality in Contemporary Cultural Practices and Education. Culture, Language and Representation, VI, 65–82.
Rajewsky, I. O. 2010. Border Talks: The Problematics Status of Media Borders in the Current Debate about Intermediality. In L. Elleström (Ed.). Media Borders, Multimodality and Intermediality. Basingstoke, Hampshire, GBR: Palgrave Macmillan.

 

+ info http://www.ufjf.br

 

Deja un comentario