Bienal de Música Eletroacústica

Fechas
Martes 4 de septiembre ’12 - 20:30 hs.

São Paulo, Brasil. De 04 a 06 de setembro de 2012
IX Bienal Internacional de Música Eletroacústica
Sesc Consolação
End: Rua Doutor Vila Nova, 245 – Consolação
Consultas: +55 11 3234-3000
http://www.sescsp.org.br 

 

 

Música eletroacústica é toda composição especulativa, no terreno da música nova ou contemporânea, realizada em estúdio eletrônico e difundida no teatro por alto-falantes depois de registradas em fita analógica ou digital, hard discs e CDs. Esse estilo musical surgiu em 1948 na forma de música concreta a partir dos experimentos de Pierre Schaeffer junto à Rádio e Televisão Francesa de Paris.
Uma parceira entre o Studio PANaroma de Música Eletroacústica da Unesp e o SESC SP apresenta, no período de 4 a 6 setembro, uma programação de concertos dedicados a música eletroacústica.

São ao todo 12 concertos, com 61 obras históricas eletroacústicas, das décadas de 1960, 1990 e 2000, de todo o mundo. Entre elas, obras para piano e eletrônica com o pianista Horácio Gouveia, mistas com solistas da Camerata Aberta, com o Percorso Ensembel, sob regência de Ricardo Bolgna, efemérides e homenagens a personagens da cena eletroacústica (Flo Menezes, François Bayle, Francis Dhomont), painéis dos países com música eletroacústica do Chile, realização do evento com o PUTS: PANaroma/Unesp  Teatro Sonoro, a primeira e única orquestra de alto-falantes do Brasil, com cerca de 38 alto-falantes de alta qualidade, mesas-de-som digitais e sistemas computacionais de difusão eletroacústica para eletrônica em tempo real e controle de trajetórias espaciais, difusão eletroacústica com o programa MPSP (MusicPanSPace), concebido por Flo Menezes para a espacialidade sonora.

PROGRAMAÇÃO:

Painel da Interatividade: obras para solistas e eletrônica
Data: 4 de setembro, 20h30.

I Parte
Karlheinz Stockhausen: Gesang der Jünglinge (1955-55) – 13’
Lucas Fagin: Crónica del oprimido (2005) – 9’50”
para contrabaixo e sons eletroacústicos
Flo Menezes: Parcours de l’entité (1994) – 15’41”
para um flautista, 1 percussionista (percussão metálica) e sons eletroacústicos

II Parte
Barry Truax: Aerial (1979) – 9’18”
para trompa e sons eletroacústicos
Sérgio Kafejian: Circulares (2012) – 12’
para trombone e eletrônica em tempo real  estreia mundial
Pierre Boulez: Dialogue de l’ombre double (1982-85) – 18’
para clarinete e eletrônica em tempo real

Solistas da Camerata Aberta.
Flauta: Cássia Carrascoza.
Clarinete: Luis Afonso Montanha.
Trompa: Nikolay Genov.
Trombone: Carlos Freitas.
Percussão: Charles Augusto.
Contrabaixo: Pedro Gadelha.
Eletrônica: Sérgio Kafejian, Fernando Iazzetta e Flo Menezes.

 

Painel das Escrituras Múltiplas: obras para ensemble e eletrônica de Flo Menezes  concerto didático
Data: 5 de setembro, 20h30.

I Parte
Contesture IV  Monteverdi altrimenti (1990-93) –  ca. 16’
para trompete solista, clarinetista, trombone, piano/sintetizador, sax soprano, 2 percussionistas e 2 tapes
Conferência de Flo Menezes sobre as obras

II Parte
Pulsares (1998-2000) –  ca. 29’
para 1 pianista (piano, piano preparado, cravo); orquestra de câmera (na ordem do palco): corne inglês, clarone, fagote, trombone-baixo, trompa, trombone-tenor, trompete, clarinete, flauta (piccolo), flauta em Sol, oboé, 2 percussionistas, harpa, celesta, violoncelo, contrabaixo, violino e viola.

Percorso Ensemble:
Flautas: Cássia Carrascoza Rogério Wolf.
Oboé: Peter Apps.
Clarinete: Sergio Burgani.
Clarinete/Clarone: Luis Afonso Montanha.
Corne inglês: Natan Albuquerque.
Sax soprano: Tiago Sormani.
Fagote: Francisco Formiga.
Trompete: Carlos Sulpício.
Trompa: Samuel Hamzem.
Trombones: Carlos Freitas e Emerson Teixeira.
Harpa: Liuba Klevtsova.
Piano, sintetizador e celesta: Karin Fernandes.
Piano, piano preparado e cravo: Horácio Gouveia.
Percussão: Eduardo Gianesella e Ruben Zuniga.
Violino: Simona Cavuoto.
Viola: Elisa Monteiro.
Violoncelo: Douglas Kier.
Contrabaixo: Cláudio Torezan.
Eletrônica: Flo Menezes.
Regência: Flo Menezes (Contesture IV) Ricardo Bologna (Pulsares).

 

Painel da Música Mista: obras para piano e eletrônica
Data: 6 de setembro, 20h30.

I Parte
Silvio Ferraz: Cortázar, ou quarto com caixa vazia (1990) –  7’10”
Luciano Berio: Thema (Omaggio a Joyce) (1958)  -  7’
Luigi Nono: … sofferte onde serene… (1976) – 13’58”

II Parte
Jonathan Harvey: Le tombeau de Messiaen (1994) – 9’
Henri Pousseur: Forges (terceiro movimento de Trois Visages de Liège) (1961) – 8’48”
Flo Menezes: Profils écartelés (1988) – 15’

Piano: Horácio Gouveia.
Eletrônica: Silvio Ferraz e Flo Menezes.

Bienal Internacional de Música Eletroacústica de São Paulo
Realização: 
Studio PANaroma de Música Eletroacústica da Unesp & SESC
Direção Artística / Curadoria:
Flo Menezes
Realização técnica:
PUTS: PANaroma/Unesp  Teatro Sonoro
(orquestra de altofalantes do Studio PANaroma).

Dias 4, 5 e 6 de setembro de 2012. Terça, quarta e quinta, às 20h30.
Não recomendado para menores de 12 anos.
R$ 10,00 (inteira); R$ 5,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino). R$ 2,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).
280 lugares

Teatro Anchieta do SESC Consolação
Rua Dr. Vila Nova, 245

+info http://www.sescsp.org.br

2 comentarios en “Bienal de Música Eletroacústica

  1. Pingback: Alvaro Henrique Borges | Ocupação Digital UFPR

  2. Pingback: Felipe de Almeida Ribeiro | Ocupação Digital UFPR

Deja un comentario