Convocatoria Festival Latino-americano e Africano

Fechas
Sábado 11 de febrero ’12 - 1:00 hs.

Brasilia, Brasil. Hasta el 23 de Fevreiro de 2012.
Convocatoria para el Festival Latino-americano e Africano de Arte e Cultura (Flaac 2012)
http://www.flaac2012.com.br/

Ficha de Inscrição FLAAC 2012

 

Convocatória de Projetos

Com o intuito de compor a sua programação, o Festival Latino-americano e Africano de Arte e Cultura (Flaac 2012), eixo estruturante das comemorações do cinquentenário da Universidade de Brasília (UnB), lança Convocatória para seleção de propostas artísticas. A participação de projetos locais, nacionais e internacionais, além de criar um diálogo entre os saberes africanos e latino-americanos, irá ampliar o caráter democrático do evento. As inscrições podem ser feitas entre 23 de janeiro e 23 de fevereiro de 2012, por meio desse formulário virtual. Apresentações de todas as linguagens artísticas, das expressões mais tradicionais às contemporâneas, podem participar do processo seletivo.

Toda a programação acontecerá em Brasília, ocupando diversos espaços culturais da cidade, e terá entrada franca. As atrações selecionadas nessa convocatória serão apresentadas entre 25 de maio e 13 de junho, período de realização dos caminhos temáticos do Flaac 2012.

Texto da Convocatória:

Português 

Español

Inglés

 

Flaac ’87 e ’89

O Festival Latino Americano de Arte e Cultura (Flaac) nasceu como um eco do grito de liberdade que agitava a sociedade brasileira, após décadas de um conturbado período político. O regime ditatorial, instaurado em 1964, chegava ao fim e o processo de redemocratização acendia a esperança no país. O nó na garganta foi desatado. E a primeira edição do Flaac, que aconteceu de 13 a 25 de setembro de1987, surgia como palco para as múltiplas expressões que permaneceram por tanto tempo caladas.

A ideia foi do professor Cristóvam Buarque, primeiro reitor da Universidade de Brasília (UnB) a ser eleito democraticamente desde 1979. O evento foi criado para comemorar os 25 anos da UnB. A professora Laís Aderne, o ator Guilherme Reis, a arte-educadora Maria Duarte e o diretor de teatro Dimer Monteiro também encabeçaram a organização. Segundo o projeto inicial, o Festival deveria acontecer de dois em dois anos.

Além de criar um espaço de fala, havia um outro princípio que norteava o Flaac: a integração dos países latino americanos por meio da arte e da cultura. “Só há um futuro possível para os países da América Latina: é o futuro comum a todos os países da América Latina. Só através desse projeto comum será possível aos povos da América Latina estancarem “as suas veias abertas”, formularem projeto alternativo, onde a democracia e a soberania sejam ditas no singular, ao mesmo tempo, por todos e para todos nós”, proferiu o reitor Cristóvam Buarque na época.

Assim, o campus Darcy Ribeiro se abriu para todos os idiomas e sotaques latino americanos. E também para as mais variadas expressões artísticas: música, teatro, dança, literatura, artes plásticas, fotografia, cultura popular e arte-educação estavam presentes nessa primeira edição. Isso, sem esquecer, os importantes debates políticos e acadêmicos. O poeta nicaragüense Ernesto Cardenal, a atriz equatoriana Tamara Nova e o multi-instrumentista Hermeto Pascoal foram algumas das personalidades que passaram pelo Flaac.

Em 1989, a expectativa com a segunda edição do Festival era grande. Empresas foram contratadas para ajudar na organização e artistas de renome no continente foram convidados. Uma crise político-econômica, no entanto, obrigou os organizadores a realizarem significativos cortes orçamentários. Com isso, contratos foram desfeitos e o evento teve que ser redimensionado. Apesar disso, artistas como a cantora argentina Mercedes Sosa, a cineasta Coco Fusco, o cantor Raimundo Fagner e a sambista Beth Carvalho participaram da segunda edição do Flaac, que aconteceu entre 4 e 13 de agosto de 89.

As dificuldades de organização com o segundo festival e a instabilidade econômica que ainda assustava o país no início da década de 90, tiraram o fôlego do Flaac. Assim, o evento acabou sendo retirado da agenda cultural e acadêmica da cidade. Apesar de seus altos e baixos, é inegável a rica contribuição que suas duas edições deixaram para a história da UnB, de Brasília e da própria América Latina.


En español

CONVOCATORIA PARA PROPUESTAS ARTÍSTICAS

Festival Latino-americano y Africano de Arte y Cultura – Flaac 2012
Tema: Los caminos de América Latina y África

La Universidad de Brasilia (UnB) por medio de la Casa de la Cultura de América Latina hace público que, en el período de 23 de enero al 23 de febrero del 2012 estarán abiertas las inscripciones para la selección de propuestas en todos los lenguajes artísticos (baile, música, teatro, artes visuales, intervenciones urbanas, circo, moda, performances, entre otros.), de lo tradicional a lo contemporáneo, de artistas y producciones culturales de todo el territorio brasilero, y también extranjeros. Los proyectos deben tener énfasis en los temas: América Latina y continente Africano, para componer la programación del Festival Latinoamericano y Africano de Arte y Cultura – Flaac2012.

Flaac tuvo su primer edición durante la celebración de los 25 año de la Universidad de Brasilia, tendrá nueva edición en el año del jubileo de la Unb, en 2012. Celebrando los 50 años de la institución, el Festival tendrá una extensa programación artística, además de seminarios, conferencias, investigaciones académicas y representaciones culturales diversas. La fecha prevista para el inicio del Flaac 2012 y 21 de abril, día del aniversario de la UnB y de Brasilia.

El final está previsto para el 10 de agosto de 2012.

La programación del Festival será compuesta por el sumatorio de propuestas de propuestas artísticas seleccionadas internamente junto a la comunidad académica de la UnB, de los proyectos seleccionados por medio de esta convocatoria y de los artistas invitados. El objetivo de esta convocatoria es estimular la creatividad artística, los intercambios y la fruición cultural entre los artistas y pensadores brasileños, africanos y latinos, en dialogo permanente con la comunidad de la UnB y del Distrito Federal.

Todos los proyectos aprobados en esa convocatoria serán incorporados a las estructura de los “Caminos Temáticos” del Festival. Es ese sentido, será instituida una ordenación de espacios presentaciones que permitirá al público, durante la visita, un verdadero paseo artístico/cultural, inédito y único, donde América Latina y África serán el centro de las atenciones.

+ info http://www.flaac2012.com.br/

5 comentarios en “Convocatoria Festival Latino-americano e Africano

  1. Pingback: Convocatoria para el Festival Latino-americano e Africano de Arte e Cultura (Flaac 2012) | sujetossujetados | cultura y política

  2. Hola cordial saludo.
    Desde Medellin en Colombia, Soy artista plastico y toda mi tematica en la obra es AFRO, solo hoy me he enterado del Festival y tratare de hacer lo pòsible por participar, pueden mirar mi obra en Facebook . La obra se ha expuesto en USA, Colombia y algunas ciudades de Europa, quisiera encontrar galeria en Brasil para exponer y comercializar el trabajo.
    Exitos con el festival.
    Mil gracias.

  3. Luego de 8 meses de la ACEPTACIÓN de los proyectos, la organización de las FLAAC 2012 han ido posponiendo por diferentes motivos la realización de los CAMINOS …. finalmente, en Octubre del 2012, avisan por mail a los grupos que el proyecto se suspendió, quedando muchisismos artistas con 8 meses de trabajo e inversión de tiempo y dinero – en Brasil y en otros países- a la deriva. El malestar es general, y lo que prometía ser un gran evento finalmente se transformó en una experiencia amarga para todos nosotros.

    • ESTE FOI O TEXTO QUE ENVIEI PARA OS ORGANIZADORES DIANTE DO ABSURDO QUE VIVENCIAMOS NO FLAAC E QUE COMPARTILHO COM VOCÊS:

      Caros organizadores FLAAC/UNB: apesar de compreender TODAS as explicações relatadas nesse comunicado, não posso deixar de registrar minha completa INDIGNAÇÃO pela forma como fomos tratados desde o início dos adiamentos do FLAAC. Estamos com o trabalho de dança PRONTO desde final de MAIO, agilizando apresentações para motivação do grupo, mantendo a continuidade de ensaios e limpezas de coreografias ininterruptamente para AGORA, após 5 meses de trabalho duro, vocês SIMPLESMENTE comunicarem que o projeto não acontecerá! Fico triste pela forma com que os projetos artísticos são tratados nesse nosso país, tanto no sentido MACRO, de Brasil, como nesta relação entre vocês, da UNB/FLAAC e nosso grupo e os demais que estiverem na mesma situação. A falta completa de notícias, o descaso pelos profissionais envolvidos e pelos investimentos feitos previamente (figurino, fotógrafo, vídeo) e, por fim, a frustração de ver um projeto que foi aprovado e habilitado, que atendeu a TODAS as demandas solicitadas (inclusive novas fotos, de melhor qualidade, a pouco tempo atrás) ser cancelado sumariamente, são SITUAÇÕES INIMAGINÁVEIS. EU REALMENTE, APESAR DAS EVIDÊNCIAS NEGATIVAS, AINDA ACREDITAVA QUE NOSSO PROJETO FINALMENTE ACONTECESSE, que vocês honrassem a palavra e o compromisso explicitado através de edital e de todos os textos utilizados nos adiamentos. NUNCA PENSEI que depois de tanto tempo de investimento em ensaios de um grupo tão grande (15 bailarinos) eu tivesse que compartilhar com eles esta notícia terrível. Fica difícil acreditar em mais alguma coisa nesse nosso país! Para que participar de editais???? Como acreditar na viabilidade das propostas???? De que forma teremos garantias de que podemos fazer nosso trabalho se, no momento final, ele pode ser descartado?
      Outra coisa MUITO importante: QUE CRITÉRIOS FORAM UTILIZADOS PELA COMISSÃO ORGANIZADORA PARA DEFINIR OS PROJETOS QUE CONTINUARIAM A ACONTECER E OS QUE SERIAM ELIMINADOS?????? Pois, pelo que percebi no comunicado e também no site durante TODO este tempo de espera, ALGUNS PROJETOS ainda continuaram acontecendo….Como isso pode acontecer se não estava previsto no edital de convocação? É possível alterar as regras depois que o jogo começa????? Se existia o risco de cancelamento de projetos desde os primeiros adiamentos, por que em nenhum momento isso foi compartilhado?
      Enfim, nem sei se consegui expressar toda a minha irritação, tristeza e indignação, mas tenham a certeza que JAMAIS esqueceremos este momento DECEPCIONANTE nas nossas vidas. Tenho mais de 30 anos como artista da dança e NUNCA passei por uma situação de tamanho descaso e até humilhação. Agora, é descobrir um jeito de comunicar ao grupo esta situação e… tentar seguir em frente!
      Atenciosamente,

      Marília Nascimento Curvelo (proponente ORA YÊ YÊ Ô)

Deja un comentario